Exercícios isométricos, isocinéticos e isotónicos

Para atingir objectivos relacionados com a musculatura dos mecanismos da fala e/ou da deglutição e consoante a avaliação prévia das necessidades do utente, existem diferentes tipos de exercícios. A força muscular pode ser testada e trabalhada com 3 modalidades diferentes.

Os exercícios isométricos são definidos como resistência sem movimento, desenvolvendo-se tensão muscular, contudo o músculo não encurta nem alonga, i.e., ocorre contracção muscular estática, sem movimento. Contracções isométricas efectivas devem ser executadas até ao ponto de fadiga muscular e depois o exercício deve ser repetido várias vezes para máximo benefício. A manutenção das posturas e os exercícios contra superfícies imóveis (ex. palmas da mão contra parede) promovem, então, o desenvolvimento de tensão sem modificação do tamanho da fibra muscular, de forma a aumentar o tónus e força muscular, quando há fraqueza. É o método mais rápido para ganhar força muscular, sem aumentar a massa.

Os exercícios isocinéticos são conseguidos quando o músculo encurta contra uma resistência cooperante igualada com a força produzida pelo músculo e requerem uma velocidade constante durante toda a amplitude do movimento. Quanto mais lenta for a velocidade do movimento isocinético, maior será o ganho em força e endurance (resistência). Estes exercícios devem ser iniciados com um mínimo de resistência ao movimento (sem permitir que este ocorra), que é aumentada gradativamente.

Tem sido mostrado que os exercícios isométricos e isocinéticos são benéficos para reverter a sarcopenia (fraqueza muscular que acompanha o envelhecimento, como resultado de diminuição de actividade física) dos membros. Crê-se terem efeito semelhante na musculatura usada na voz, fala e deglutição, apesar da escassez de estudos específicos.

Os exercícios isotónicos são mais dinâmicos e realizados com movimento, com ou sem pesos, envolvendo a contracção e extensão muscular controlada, contra uma carga constante. A tensão deverá permanecer constante durante o exercício e evolvem a movimentação e mobilidade dos músculos. Contribuem para a coordenação motora, flexibilidade e força.

A diferença entre a contracção isotónica e a isométrica é que na primeira há presença de movimento e na segunda ausência. Por exemplo, exercer força com as palmas das mãos contra uma parede é uma forma isométrica, enquanto que flexões de braços são isotónicas.

Os alongamentos são utilizados para melhorar a elasticidade muscular, flexibilidade e amplitude de movimentos.

Macaluso, A.; De Vito, G. (2004). Muscle strength, power and adaptations to resistance training in older people. Eur J Appl Physiol . 91: 450-472.

Easterling, C. (2008). Does an exercise aimed at improving swallow function have an effect on vocal function in the healthy elderly?. Dysphagia. 23: 317-326.

Fornecido por:

Eva Antunes

About these ads

One response to this post.

  1. Posted by Susana Delgado on Fevereiro 11, 2011 at 7:20 pm

    Obrigada pela informação disponibilizada!
    É útil e fiquei a entender um pouco melhor em que consistem estes exercícios.

    Responder

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 32 outros seguidores

%d bloggers like this: